Skip to main content

Jean Monnet: a força unificadora nos bastidores da criação da União Europeia

«Continuem, continuem, não há futuro para os povos da Europa que não passe pela união.»

Jean Monnet

Vida e papel histórico

Ao eclodir a Primeira Guerra Mundial em 1914, Monnet contacta o Governo para lhe propor coordenar melhor o transporte dos fornecimentos de guerra com os aliados da França. Mais tarde, é nomeado Secretário-Geral Adjunto da Sociedade das Nações quando esta foi criada em 1919. Em 1943, Monnet torna-se membro do Comité Francês de Libertação Nacional, o governo francês de facto, no exílio em Argel. É nesse período que articula a sua visão de uma Europa que, unida, garantiria a paz.

Uma visão para a Europa

Perante o recrudescimento das tensões internacionais após a guerra, Jean Monnet sente que soou a hora de dar um passo decisivo rumo à unidade europeia. Começa então a trabalhar, com a sua equipa, no conceito de uma Comunidade Europeia. Em 9 de maio de 1950, Robert Schuman, ministro dos Negócios Estrangeiros francês, profere a «Declaração Schuman» em nome do Governo francês.

Esta declaração, inspirada e preparada por Jean Monnet, propunha que toda a produção franco-alemã de carvão e de aço fosse colocada sob uma Alta Autoridade. Essa proposta assentava na ideia de que, se a produção desses recursos fosse partilhada pelos dois países mais poderosos do continente, seria possível evitar guerras futuras.

Jean Monnet on the integration of Europe.
Jean Monnet on the integration of Europe.

 

Publicações

Mais informações sobre a vida, o trabalho e a contribuição de Jean Monnet para o projeto europeu